Canil Matsuyama - Raça Akita Inu

Akita – Comportamento e Temperamento

8 de setembro de 2015
Comportamento do Akita

Comportamento do Akita

Akita – Raio X

O dono, o amigo do dono, o estranho e o invasor?

Não, eu não estou maluco e nem estou com febre do Akita, rsrsrs, o Akita se comporta assim mesmo, ele sabe a diferença de um e de outro como vamos analisar neste artigo.

O Akita, desde que tenha um temperamento adequado, seja bem socializado e tenha um convívio estreito e harmonioso com sua família humana, deverá reconhecer instintivamente o dono, o amigo do dono, o estranho e o invasor de seu território.

O cão Akita entende por dono as pessoas que moram com ele, que são as de seu convívio diário.

Estou falando da forma como o cão se relaciona hierarquicamente com a família, que para ele nada mais é do que sua matilha. Ele vê a família como um todo que lhe pertence e da qual ele faz parte portanto, protege e rastreia a “alma” de todos os seus membros – daí se dizer que ele é um “rastreador de almas”.

Uma vez convivendo em família desde pequeno, ele percebe a energia de cada um dos membros e aprende a reconhecer os momentos de fragilidade destes indivíduos sejam eles de medo, aflição, de saúde, ou mesmo pânico por perigo eminente. Ressalto ainda que por vezes, em caso de saúde fragilizada de um dos membros da matilha ele pode se tornar um protetor mais incisivo do que normalmente aconteceria, por isso o Akita é um animal diferenciado.

É comum também nos Akitas, fazer um tipo de proteção preventiva dos membros menos capazes da matilha, tenho inumeros casos de cães do meu canil que protegem as crianças de sua casa quando da distância dos pais ou responsaveis, seja de estranhos ou de outros cães, porisso é muito importante a boa socialização e educação do Akita.

Com o dono e sua família o Akita é apegado, amoroso sem ser pegajoso, atento, alerta e sempre disposto a agradar, precisa de educação firme e atenciosa, mas é um cão sem igual.

O amigo do dono

Com os amigos da família o Akita é um cão tranquilo, se os seus amigos tem um convívio estreito com sua família e vem para almoços, festas, jogos, e visitas mais ou menos continuas, já no momento de você recebê-los no portão o seu Akita se mostrará mais relaxado e afável, o que não tira a necessidade de atenção, pois o Akita só respeita 100% os seus donos e os integrantes de sua matilha, podem até fazer amizade com os seus amigos, mas é a você que ele atenderá sempre.

Com estranhos

O estranho ele costuma tratar com indiferença controlada e desconfiança, as vezes quando recebemos em nosso lar uma pessoa estranha ao nosso convívio, o nosso Akita se move em nossa volta ou assume uma posição fixa de onde ele possa ver bem e analisar o “convidado”.

É costume do Akita “fingir” que não liga para o estranho, as vezes dando a falsa impressão de que o ignora completamente, mas basta uma tosse, um movimento mais rápido ou em nossa direção para o Akita disparar para o nosso lado e olhar fixo o estranho.

As fêmeas costumam ser um pouco mais tolerantes, chegando a deixar o estranho se aproximar ou até toca-las, mas não se engane, se uma postura protetora lhe for solicitada por um mivimento brusco ela responderá a altura e com muita rapidez.

Os acidentes acontecem porque o Akita, quando é apresentado ao estranhos por nós seus donos e integrantes da matilha se torna mais dócil, mas as vezes as pessoas esquecem que ele vai continuar vigiando o estranho, pois ele não faz parte da matilha e deve ser vigiado, nestes casos é comum depois de uma cerveja ou um café, todos se sentirem relaxados e esquecer que o cão Akita está ali a lado observando tudo.

Com invasores

Falo sempre aos meus amigos, que se você quer conhecer o verdadeiro Akita que você tem em casa, peça para um estranho fingir que vai abrir o seu portão, ele não terá a mínima chance.

O drive de guarda, de caça e de território do Akita são extremamente altos, e depois dos 12 meses um Akita adulto é um belo cão de guarda sem a necessidade de treinamento específico, as vezes já com 6 ou 7 meses de idade já late e avança em intrusos no portão, tive um caso de uma fêmea Akita, filha do meu canil que com 6 meses fez a proteção de sua dona não deixando o coitado do rapaz do gás entregar o botijão dentro de sua cozinha como de costume.

Tive alguns Akitas machos extremamente eficientes na guarda de minhas casas, deixando bem claro ao invasor que se tenta-se incistir na invasão seria atacado sem meio termo.

Eles latem, correm em torno do invasor, rosnam, erissam os pêlos do dorso, mas o momento que acho mais perigoso é quando param de latir e rosnar e só olham fixamente para o invasor, o meu Bushi faz muito isto, é ai que mora o perigo para quem tenta invadir a casa onde se tem um ou mais Akitas.

Bem é isto meus amigos, espero que gostem deste artigo, até a próxima!

 

Roberto Bezerra da Silva – Criador e eterno estudioso