Canil Matsuyama - Raça Akita Inu

Depoimento de clientes 3

Pergunta aos clientes:

O que você tem a dizer sobre o atendimento de nosso canil e qual o seu nível de satisfação com a compra de seu filhote de Akita do Canil Matsuyama?

 

Bom como começar…

Eu e minha esposa mudamos para a nossa casa nova a mais ou menos, seis meses, em um condomínio perto do local onde trabalhamos. Há algumas semanas atrás sentimos a necessidade de ter um cachorro maior do que já tínhamos e que não desse moral para estranhos, pois a nossa Luvinha se requebra toda quando chega um estranho na nossa casa.

Apesar de morarmos em condomínio nossa casa fica muito perto do muro e fica do lado de uma mata, o que pode ser muito perigoso nesses tempos malucos em que nós vivemos.

Pensamos, pensamos aí minha esposa falou da vontade de se ter um Akita, pois já teve um quando era criança e ela tinha muita saudade dele. Eu não conhecia a raça então fui ao Google e digitei lá Akita, logo nos primeiro sites que apareceram estava lá o site do Clube do Akita e do Canil Matsuyama.

Comecei a ler e a afinidade foi enorme, eu sempre gostei muito da cultura oriental, com ênfase na cultura japonesa, era até uma surpresa para mim nunca ter ouvido falar da raça. Conversei com a minha esposa se podíamos ou não agora comprar o cachorro, na nossa indecisão resolvemos ligar para o telefone do site.

Em nosso primeiro contato eu o Roberto não conseguimos uma boa comunicação, pois estava caindo um chuva muito forte e o sinal dos celulares (o meu e o dele) estava muito ruim, mas no outro dia estava lá, ele ligando para mim, explicando como é a raça, tirando as minhas duvidas e da minha esposa.

Resolvemos, com uma ajudinha do Roberto, que parcelou em cinco vezes e também com uma ajudinha da sorte (né Roberto?) conseguimos adquirir o nosso Akashiro.

Nosso menino ainda estava com uns 20 dias de vida, portanto ainda tínhamos que esperar mais uns 40 dias para poder pegá-lo. Não vou dizer que foi fácil, nem para mim e nem para o Roberto, porque ele foi bombardeado com todo o tipo de pergunta, algumas bem idiotas, e também pelo fato de toda a vez que eu pensava no Akashiro eu escrevia para ele…

Pacientemente, o Roberto foi me ensinando, me mandou alguns livros para ir estudando, coisa que acabei devorando em poucos dias…

Através dos e-mails nós íamos nos conhecendo melhor, eu me contei minha história de vida ele contou a dele, meus e-mails pareciam livros (mais ou menos como esse depoimento), até um dia que ele chamou para ir conhecer sua família e, é claro, o Akashiro, não pensamos duas vezes e logo no dia combinado, estávamos nós lá…

Confesso que no caminho pensei, “estamos indo no meio do mato de uma cidade pequena que fica no interior de São Paulo, conhecer uma pessoa que conhecemos na internet”, ficamos ressabiados, mas decidimos ir mesmo assim, meu instinto não havia dado nenhum sinal de perigo…

Chegando a sua casa todo aquele receio passou, ele já nos recebeu super bem, nos apresentou sua família, sua esposa Cristina e sua filhinha linda Bibi, e é claro não podemos esquecer de seus outro filhos e netos que são tantos que não vou colocar aqui. Não posso negar uma coisa, quando nós vimos o Akashiro foi amor a primeira vista, nos encantamos muito aquela bolinha de pelo que custava a ficar no nosso colo. Ficamos lá praticamente o dia inteiro, onde aprendemos muitas coisas, não só sobre como lidar com cães ou como lidar com a raça Akita em especial, mas também sobre a vida… A clareza deles em relação à vida é incrível, o modo de como eles encaram as dificuldades, com honra e perseverança, fazendo aquilo que gostam com amor e carinho, é uma coisa que não vê mais hoje em dia. E tudo isso se reflete nos cães, que são lindos, bem cuidados, educados, uns amores.

Depois daquele dia ainda demorou mais uns 30 dias para a gente buscar o Akashiro, mas agora já faz uma semana que ele está em casa, e já é a nossa alegria, inclusive com a Luvinha, os dois estão se dando super bem, sem contar que agora, sob orientação do Roberto não estou dando ração para os meus meninos, eles agora estão comendo a Alimentação Natural, que já está fazendo uma bela diferença para a Luvinha, para o Akashiro nem tanto, pois ele já vem da alimentação que o Roberto e a Cristina davam a eles.

Bom para finalizar o livro, quero dizer que recomendo o canil Matsuyama, pelo amor e pela determinação com que esses dois levam a vida e isso se vê refletido em seus cães, que eles tratam como seus filhos e netos. Tenho um grande exemplo disso em minha casa, toda vez que olho, brinco ou dou uma bronca no Akashiro eu vejo o carinho da criação que ele teve antes, além disso, o exemplo deles ficou cravado na minha alma… uma grande lição que quero levar para o resto de minha vida…
Dr. Gustavo Vidal e família. 

Filhote: Akashiro Go